“Do que eu falo quando falo de corrida”

Eu estava passando pela Av. das Esmeraldas em Marília quando avistei uma mulher correndo. O esporte ainda parecia ser algo masculino, não era comum ver mulheres correndo e sendo femininas ao mesmo tempo, então aquilo despertou minha atenção.


A cena era bonita, inspiradora, especialmente para alguém que começava a se rebelar com sua vidinha totalmente sedentária. De fato essa mulher mudou minha vida. Procurei orientação profissional, treinei por meses até que corri meus primeiros 400 metros sem intervalo, e essa sensação jamais saiu da minha mente.
Clique de hoje é de um treino tranquilo, estou voltando a correr depois de um tempo dedicado unicamente ao escritório e eventos da vida de blogueira, mas que agora voltou a fazer parte da minha agenda.